O cantor e compositor Saldanha Rolim pertence a uma segunda geração de cantores e compositores nordestinos, que no Inicio da década de 80, se lançaram na região sul do país. Cearense de Parambu, e criado em São Luiz do Maranhão, já aos dezessete anos de idade ele participava de movimentos culturais estudantis no Nordeste, especialmente no Maranhão e Ceará. Foi num seminário de frades franciscanos em Fortaleza que aprendeu as primeiras noções de música e a tocar violão. Daí, talvez, a fórmula de sua música, que tem como ingredientes o amor, a paz, a ternura e sobre tudo a alegria. Saldanha Rolim sempre vivenciou as diversas manifestações culturais de seu povo, expressas através do cantar do dia-a-dia e da diversidade de ritmos que fazem parte do repertório de seus eletrizantes shows. Esta característica pode ser explicada pela notória Influência que dois mestres do cancioneiro nordestino – Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro – exerceram sobre seu trabalho.

Depois de se apresentar em várias cidades nordestinas, em 1980 Saldanha Rolim seguiu para São Paulo, levando na bagagem esta mistura de sons. Começou a se destacar com seus shows vibrantes, fazendo circuitos universitários e se apresentando em programas de TV. Em pouco tempo, ele criou um estilo próprio ao dar um sotaque novo à rítmica nordestina.

Na capital paulista travou contato, entre outros com o compositor Geraldo Vandré, que em 1984 o convidou para participar do histórico show das terras de Benvirá realizado na cidade de Puerto Stroessner, no Paraguai. Neste show ele foi apresentado ao cantador mineiro Saulo Laranjeira, Iniciando ali uma grande amizade que desaguou em fecundas parcerias e o contato direto com Minas Gerais.

Levando a sua música por mais 120 cidades mineiras, Saldanha Rolim promoveu uma intensa troca de informações com agentes culturais e identificou ali um vasto espaço para desenvolver seu trabalho. O público mineiro também o adotou e ele passou a ser presença obrigatória na maioria dos eventos realizados pelo estado afora.

Mais recentemente em 1999 fez uma turnê na Itália ao lado da Família Alcântara, importante grupo afro mineiro, representando o Brasil em nove festivais de verão importantes daquele país, passando por grandes cidades tais como Gênova, Milão, Turim, Nápoles, etc., conquistando assim espaços importantes para sua música e a MPB na Europa.

Dando continuidade a sua caminhada, em 2001 Saldanha se apresentou em Toronto – Canadá.

Em 2005, patrocinado pelo Ministério da Cultura se apresenta em 20 cidades brasileiras com o espetáculo, Saldanha Rolim e os Tambores de Cantaria.

Já em 2007, se apresenta em Portugal, na cidade de Serpa apresenta o show Brasil – Usina da Alegria.

Em 2008 volta a Portugal, com o espetáculo Saldanha Rolim e os Tambores de Cantaria, nas cidades de Serpa e Caminha.

Em 2011, patrocinado pelo Ministério da Cultura, se apresenta em 10 cidades de minas com o espetáculo, Saulo Laranjeira e Saldanha Rolim cantam Vandré e Gonzagão.

Dando continuidade a sua caminhada, segue se apresentando em diversas cidades brasileiras.